A história emocionante do homem que durante 60 anos desejou boas festas à rainha Isabel II

Andrew Simes utilizou a rede social Facebook para contar uma história sobre a admiração que o seu avô tinha pela Família Real Britânica.


 

Desde 1952 que todos os Natais, Albert Alfred Simes fazia questão de enviar um postal de ‘Boas Festas’ endereçado à sua Majestade, a rainha Isabel II.

 

Apesar de viver na Turquia, este foi um gesto que fez parte da vida de Albert até à altura da sua morte, em 2011. Ao todo foram 60 os postais que chegaram ao Palácio de Buckingham e dos quais nunca obteve resposta.

 

Nesta quadra natalícia, o neto, Andrew Simes, relata a história na rede social Facebook e o momento em que ambos se cruzaram.

 

“Num golpe de sorte, os seus caminhos cruzarem-se em 1957 durante uma receção oficial em Izmir, Turquia. Quando chegou a vez do meu avô ser apresentado à rainha, em vez do aperto de mão formal, ela parou, sorriu e disse: “Então é o senhor que me tem mandado aqueles cartões de boas festas tão bonitos.” De todos os seus súbitos, o meu avô sobressaiu (talvez porque tenha enviado os seus cartões da Turquia), mas que memória e sinal de bondade por parte da Rainha”, contou.

 

No post, Andrew conta ainda que após a morte do avô decidiu manter viva esta tradição e continuar a escrever os habituais cartões. E foi em janeiro de 2012 que recebeu uma das maiores surpresas da sua vida: uma carta da rainha Isabel II.

 

“Quando este Natal recebi uma carta escrita por um Simes diferente, dei instruções ao meu gabinete para saber sobre o seu avô. É com muita tristeza, que tive conhecimento da sua morte e expresso as minhas condolências a si e à sua família”, escreveu a sua Majestade.

 

“Na altura não consegui conter as lágrimas, como também não as consigo conter sempre que me lembro desta história, na qual duas pessoas deixaram uma impressão eterna na vida da outra. E hoje, um ano depois, eu envio os meus cartões de Natal… mas a Sua Majestade está no topo da lista”, finaliza o post.

 

Com a proximidade da época natalícia, Andrew decidiu recuperar esta história como forma de homenagear o seu avô, recuperar a magia do Natal e relembrar que tudo é possível, basta acreditarmos.